quinta-feira, 15 de maio de 2014

Brasília ganhará mais 10 bicicletários antes da Copa


A iniciativa faz parte de um projeto do governo do Distrito Federal que colocará em funcionamento, antes do Mundial, 10 estações e 100 bikes para compartilhamento; a previsão é que, até o segundo semestre, outras 30 estações e 300 veículos estejam disponíveis ao público

Fábio Magalhães e Ailane Silva, da Agência Brasília - A capital federal, que está entre as 10 cidades brasileiras com os maiores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), segundo a ONU, tem proporcionado cada vez mais qualidade de vida aos seus moradores e turistas. Como uma das sedes da Copa do Mundo, Brasília passou por diversas intervenções na infraestrutura e está pronta para receber milhares de torcedores.

As melhorias estruturais aconteceram em vários pontos da cidade e são perceptíveis pela população. Uma delas foi a instalação de 15 km de ciclovias em todo o Eixo Monumental, o que contribuiu para que a capital brasileira se tornasse referência mundial nesse tema ao atingir a marca de 433 km disponíveis aos ciclistas.

De acordo com levantamento da Mobilize Brasil, a cidade desbanca diversas outras capitais estrangeiras no quesito ciclovias, como Copenhague (Dinamarca), Bogotá (Colômbia), Amsterdã (Holanda) e até mesmo Paris (França). Para o arquiteto João Teófilo, que utiliza a bike ao menos quatro vezes por semana, essa é uma iniciativa aprovada.

"Em cada um dos dias, ando cerca de 30 km. Saio do Cruzeiro, vou à Asa Sul, Asa Norte, UnB. É muito bom esse trabalho que está sendo feito na cidade para priorizar os ciclistas", disse o jovem de 28 anos.

Essa mudança cultural em relação ao transporte será estimulada ainda mais com a disponibilização de 400 bicicletas aos brasilienses e turistas. A iniciativa faz parte de um projeto do GDF que colocará em funcionamento, antes do Mundial, 10 estações e 100 bikes para compartilhamento. A previsão é que, até o segundo semestre, outras 30 estações e 300 veículos estejam disponíveis ao público.

"O GDF apoia o uso das bicicletas. Por isso, estamos realizando uma série de ações para incentivar a população a usar esse meio de transporte, que é sustentável e ocupa espaço muito menor do que um carro", destacou o secretário de Governo, Gustavo Ponce de Leon, em entrevista à Agência Brasília.

FUNCIONAMENTO – Esse projeto terá custo zero para o governo local, já que a empresa pernambucana Serttel, vencedora da chamada pública para instalação do sistema, captará recursos com utilização de publicidade.

Já os usuários têm de pagar apenas uma taxa anual de R$ 10, descontada em cartão de débito ou crédito, e fazer um cadastro on-line, com informação do CPF, RG e endereço, em um site, que está em criação.

Quando desejar pedalar pela cidade, basta o interessado ligar para a central ou solicitar a liberação da bicicleta pela internet. Depois disso, ele tem direito a utilizar o meio de transporte por uma hora, ininterruptamente. Caso queira continuar com o veículo, ele deverá ser recolocado em uma das estações, de onde será liberado novamente após 15 minutos, sem custo.

Outra opção é utilizar ininterruptamente e pagar a taxa de R$ 5 por hora excedente. "Isso é uma medida para que um número máximo de pessoas consiga utilizar a bicicleta e não ocorra uma espécie de monopólio", acrescentou Gustavo Ponce.

As bicicletas possuem um chip de identificação e são feitas de material resistente, com dupla camada de alumínio e um tipo de plástico, o poliestireno. Já as estações, com placas fotovoltaicas para captar energia solar, têm capacidade para 10 vagas. As bicicletas são destravadas após "autorização eletrônica", feita automaticamente pelo sistema.

Ciclista, Uirá Felipe Lourenço, que faz parte da ONG Rodas da Paz, avaliou como positiva a iniciativa de disponibilizar bicicletas à população. Ele destacou os avanços ocorridos nos últimos anos e deu dicas de melhorias que podem ser adotadas para respeitar ainda mais quem optar por pedalar.

"Colocar bicicletas públicas é uma iniciativa bastante favorável. É uma atitude que pode favorecer o uso do veículo. Vejo no dia a dia que a cidade tem um grande potencial para isso, que tem tido mais ciclovias. Agora, temos de observar a questão da continuidade delas e de fiscalização, para que carros não as invadam", lembrou.

PEDESTRES – Além de estimular meios alternativos de transporte, o governo local intensificou as melhorias para os pedestres, como a construção de calçadas com acessibilidade, paisagismo e instalação de baias de ônibus. De acordo com a Novacap, foram investidos R$ 20,4 milhões, somente na área central do Plano Piloto (setores hoteleiros Sul e Norte) e no Eixo Monumental.

"Essa obra faz parte de um projeto para deixar a cidade mais moderna, funcional, sem impactar ou danificar o tombamento. É uma forma de transformar Brasília, a partir do recebimento da Copa do Mundo, deixando um legado para a população", destacou a diretora de Obras Especiais da Novacap, Maruska Lima.
 
Fonte: Brasília247

Nenhum comentário:

Postar um comentário