quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Grupo planeja deter exploração sexual em eventos esportivos

O combate contra o tráfico sexual e de trabalho para outros países será a meta para mobilizar um grupo cristão, que reunirá centenas de voluntários para se manter a serviço durante a Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil e o Super Bowl, final da liga profissional de futebol americano (NFL) em Nova Jersey, EUA.

Considerada uma epidemia mundial, a escravidão moderna se torna uma preocupação cada vez maior da associação evangélica Calvary Chapel, em várias de suas operações pelo mundo, e por conta disso, sua filial Fort Lauderdale, sul dos EUA, utiliza o mês de janeiro como o mês da consciência do Tráfico de Seres Humanos para apontar estatísticas e soluções contra este mal.

Com maioria de vítimas como mulheres e crianças, o tráfico de pessoas só perde em números apenas para o tráfico de drogas. E o que poucas pessoas sabem é que em grandes eventos esportivos como Copa do Mundo, Super Bowl, Fórmula 1, Olimpíadas, entre alguns outros, se tornam oportunidade para a exploração sexual, escondida por trás do compromisso da mídia em dar maior atenção aos jogos.

"À medida que se preparam para as festividades do Super Bowl, no dia 2 de fevereiro, há uma triste realidade velada por trás deste evento esportivo icônico: o tráfico sexual humano. Como centenas de milhares de fãs de esportes irão para Nova Jersey e na área circundante, os traficantes se inserem entre eles", relata o site da organização.

Um agravante se dispõe após o fim destes grandes eventos, já que a coação de mulheres para prostituição, em muitos casos menores de idade, permanece por semanas e meses e a Calvary Chapel de Fort Lauderdale se organiza para integrar ações no Brasil em junho, durante a Copa do Mundo com o objetivo de combater a generalização do crime.

"Um milhão de estrangeiros virá ao Brasil este ano para a Copa do Mundo. As igrejas do Brasil precisam de ajuda, e nós vamos enviar uma equipe da Calvary Chapel Fort Lauderdale exclusivamente para isso", relata a organização.

Para a Calvary Chapel é hora de "o Corpo de Cristo intervir e se reforçar", e o grupo pretende trabalhar em diversas pontas durante a Copa do Mundo, desde a sensibilização das comunidades de favelas até trabalhos de conscientização nos eventos chamados de Fan Fest, que reunirão milhares de pessoas para assistirem os jogos em telões nas cidades-sede do torneio.

A mesma operação deve ser feita durante o Super Bowl XLVIII, em Nova Jersey, com a participação de voluntários que receberam a capacitação adequada para detectarem a coação de mulheres e meninas em motéis, hotéis e grandes redes de serviço de hospedagem. Entre vários dados reunidos pela Calvary Chapel, os mais alarmantes indicam que: 32 bilhões de dólares são arrecadados por criminosos envolvidos com tráfico humano; algo entre 600 e 800 mil vítimas são traficadas no mundo a cada ano; uma faixa de 15 mil cidadãos estrangeiros são traficados para os EUA; os Estados Unidos são maior destino do turismo sexual, com o registro de aproximadamente 2,8 milhões de crianças que fogem para o país, onde um terço é atraído para pornografia e prostituição em 48 horas presente no local.O combate contra o tráfico sexual e de trabalho para outros países será a meta para mobilizar um grupo cristão, que reunirá centenas de voluntários para se manter a serviço durante a Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil e o Super Bowl, final da liga profissional de futebol americano (NFL) em Nova Jersey, EUA.

Considerada uma epidemia mundial, a escravidão moderna se torna uma preocupação cada vez maior da associação evangélica Calvary Chapel, em várias de suas operações pelo mundo, e por conta disso, sua filial Fort Lauderdale, sul dos EUA, utiliza o mês de janeiro como o mês da consciência do Tráfico de Seres Humanos para apontar estatísticas e soluções contra este mal.

Com maioria de vítimas como mulheres e crianças, o tráfico de pessoas só perde em números apenas para o tráfico de drogas. E o que poucas pessoas sabem é que em grandes eventos esportivos como Copa do Mundo, Super Bowl, Fórmula 1, Olimpíadas, entre alguns outros, se tornam oportunidade para a exploração sexual, escondida por trás do compromisso da mídia em dar maior atenção aos jogos.

"À medida que se preparam para as festividades do Super Bowl, no dia 2 de fevereiro, há uma triste realidade velada por trás deste evento esportivo icônico: o tráfico sexual humano. Como centenas de milhares de fãs de esportes irão para Nova Jersey e na área circundante, os traficantes se inserem entre eles", relata o site da organização.

Um agravante se dispõe após o fim destes grandes eventos, já que a coação de mulheres para prostituição, em muitos casos menores de idade, permanece por semanas e meses e a Calvary Chapel de Fort Lauderdale se organiza para integrar ações no Brasil em junho, durante a Copa do Mundo com o objetivo de combater a generalização do crime.

"Um milhão de estrangeiros virá ao Brasil este ano para a Copa do Mundo. As igrejas do Brasil precisam de ajuda, e nós vamos enviar uma equipe da Calvary Chapel Fort Lauderdale exclusivamente para isso", relata a organização.

Para a Calvary Chapel é hora de "o Corpo de Cristo intervir e se reforçar", e o grupo pretende trabalhar em diversas pontas durante a Copa do Mundo, desde a sensibilização das comunidades de favelas até trabalhos de conscientização nos eventos chamados de Fan Fest, que reunirão milhares de pessoas para assistirem os jogos em telões nas cidades-sede do torneio.

A mesma operação deve ser feita durante o Super Bowl XLVIII, em Nova Jersey, com a participação de voluntários que receberam a capacitação adequada para detectarem a coação de mulheres e meninas em motéis, hotéis e grandes redes de serviço de hospedagem. Entre vários dados reunidos pela Calvary Chapel, os mais alarmantes indicam que: 32 bilhões de dólares são arrecadados por criminosos envolvidos com tráfico humano; algo entre 600 e 800 mil vítimas são traficadas no mundo a cada ano; uma faixa de 15 mil cidadãos estrangeiros são traficados para os EUA; os Estados Unidos são maior destino do turismo sexual, com o registro de aproximadamente 2,8 milhões de crianças que fogem para o país, onde um terço é atraído para pornografia e prostituição em 48 horas presente no local.O combate contra o tráfico sexual e de trabalho para outros países será a meta para mobilizar um grupo cristão, que reunirá centenas de voluntários para se manter a serviço durante a Copa do Mundo FIFA 2014 no Brasil e o Super Bowl, final da liga profissional de futebol americano (NFL) em Nova Jersey, EUA.

Considerada uma epidemia mundial, a escravidão moderna se torna uma preocupação cada vez maior da associação evangélica Calvary Chapel, em várias de suas operações pelo mundo, e por conta disso, sua filial Fort Lauderdale, sul dos EUA, utiliza o mês de janeiro como o mês da consciência do Tráfico de Seres Humanos para apontar estatísticas e soluções contra este mal.

Com maioria de vítimas como mulheres e crianças, o tráfico de pessoas só perde em números apenas para o tráfico de drogas. E o que poucas pessoas sabem é que em grandes eventos esportivos como Copa do Mundo, Super Bowl, Fórmula 1, Olimpíadas, entre alguns outros, se tornam oportunidade para a exploração sexual, escondida por trás do compromisso da mídia em dar maior atenção aos jogos.

"À medida que se preparam para as festividades do Super Bowl, no dia 2 de fevereiro, há uma triste realidade velada por trás deste evento esportivo icônico: o tráfico sexual humano. Como centenas de milhares de fãs de esportes irão para Nova Jersey e na área circundante, os traficantes se inserem entre eles", relata o site da organização.

Um agravante se dispõe após o fim destes grandes eventos, já que a coação de mulheres para prostituição, em muitos casos menores de idade, permanece por semanas e meses e a Calvary Chapel de Fort Lauderdale se organiza para integrar ações no Brasil em junho, durante a Copa do Mundo com o objetivo de combater a generalização do crime.

"Um milhão de estrangeiros virá ao Brasil este ano para a Copa do Mundo. As igrejas do Brasil precisam de ajuda, e nós vamos enviar uma equipe da Calvary Chapel Fort Lauderdale exclusivamente para isso", relata a organização.

Para a Calvary Chapel é hora de "o Corpo de Cristo intervir e se reforçar", e o grupo pretende trabalhar em diversas pontas durante a Copa do Mundo, desde a sensibilização das comunidades de favelas até trabalhos de conscientização nos eventos chamados de Fan Fest, que reunirão milhares de pessoas para assistirem os jogos em telões nas cidades-sede do torneio.

A mesma operação deve ser feita durante o Super Bowl XLVIII, em Nova Jersey, com a participação de voluntários que receberam a capacitação adequada para detectarem a coação de mulheres e meninas em motéis, hotéis e grandes redes de serviço de hospedagem. Entre vários dados reunidos pela Calvary Chapel, os mais alarmantes indicam que: 32 bilhões de dólares são arrecadados por criminosos envolvidos com tráfico humano; algo entre 600 e 800 mil vítimas são traficadas no mundo a cada ano; uma faixa de 15 mil cidadãos estrangeiros são traficados para os EUA; os Estados Unidos são maior destino do turismo sexual, com o registro de aproximadamente 2,8 milhões de crianças que fogem para o país, onde um terço é atraído para pornografia e prostituição em 48 horas presente no local.

Fonte: Fé em Jesus

Nenhum comentário:

Postar um comentário