quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Cuidados contra Raios

Cuidados
Em dias de tempestade deve-se tomar algumas precauções:
  • Evitar ficar próximo de torres, antenas, mastros, etc;
  • Não permanecer em áreas abertas tipo fazendas, praias, campos de futebol;
  • Evitar banhos de mar ou rio, pois a água (não destilada) é boa condutora fazendo com que a descarga atinja distâncias maiores.
  • Dentro de casa deve-se evitar encostar nas paredes, ficar na soleira da porta e à janela;
  • Não tomar banho de chuveiro elétrico;
  • Não utilizar o telefone. Se um raio cair na antena de televisão, por exemplo, a corrente elétrica tende a se espalhar através de toda fiação elétrica da casa tornando perigoso o manuseio de qualquer equipamento elétrico. Para evitar danos aos próprios aparelhos, é bom desligá-los da tomada.
  • Não conectar-se à internet;
Evitar também tocar em torneiras, pois a corrente elétrica pode propagar-se ao longo da instalação hidráulica, especialmente se ela for de metal.

Outros efeitos do raio

Muitas vezes os raios causam sérias complicações e prejuízos nos sistemas de transmissão de energia elétrica, nas telecomunicações e nas aeronaves. Podem provocar incêndios florestais em que o lançamento de grande quantidade de gás carbônico para a atmosfera, provavelmente, contribui para o aumento do efeito estufa que é o aumento da temperatura na superfície terrestre, devido à redução da taxa de emissão da radiação térmica para o espaço. Os raios quebram as moléculas de nitrogênio e oxigênio existentes na atmosfera, proporcionando a combinação destes dois elementos para a formação do óxido de nitrogênio que é muito importante na agricultura. O óxido de nitrogênio levado à superfície terrestre pelas chuvas fertiliza os solos. Apesar de todos os seus efeitos negativos e do medo que incutem, as descargas elétricas na atmosfera são importantes para manter o equilíbrio elétrico entre o solo e a atmosfera. Tomando as devidas precauções, podemos conviver com elas sem pânico.

Efeitos dos raios nos corpos

  • Raio direto no corpo: Somente não mata o ser humano em raros casos, e geralmente quando somente um braços do raio o atinge;

  • Tensão de toque: Toque ou contato com o objeto veiculador do raio (árvore, parede, poste, etc.); A tensão do raio é tanta, que este salta ou se bifurca para os corpos e objetos das proximidades, quando estes oferecem mais um caminho, ou um caminho melhor de aterramento. A pessoa, animal ou objeto que estiver nestas condições poderá ser fulminado, a depender da distância que estão, da intensidade do raio, do isolamento que apresentam em ralação ao solo, etc.
  • Campo Eletromagnético: Se propagam até centena da metros, e podem provocar parada cardíaca, se um raio acontecer em um certo momento entre a sístole e a diástole do coração, "desligando" seu automatismo.
  • Susto: Dispensa maiores comentários. Só pode imaginar com certa precisão, quem já esteve perto de um raio, e sobreviveu.
Como proteger-se

Raios podem acontecer sem aviso prévio. Um céu nublado com nuvens carregadas (escuras, densas), poderá descarregar raios num momento de grande serenidade. Não aventure-se muito com estas condições.
  • Se estiver se aproximando uma tempestade com descargas elétricas (raios, trovões, relâmpagos), procure abrigo (casa, edifício, automóvel, etc.) Para saber se está se aproximando, basta contar o tempo entre o relâmpago e o seu barulho correspondente. Para cada segundo, são 340 m de distância.
  • Não ficar nas janelas, sobretudo se forem metálicas, pois poderão ser utilizadas pelo raio para atalhar caminho.
    Afastar-se de peças metálicas, sobretudo se estiverem na vertical, forem longas, em local elevado, isoladas e em contato com a terra (temos aí um excelente "chama-raios");
  • Se você estiver solitário em campo aberto, e não houver abrigo, é possível diminuir seu risco, abaixando-se e ficando com os pés juntos, as mãos sobre os joelhos e a cabeça baixa. Se estiver acompanhado, convém espalhar-se em distâncias de dezenas de metros, para que em caso de sinistro, não morram todos.
  • Em campo aberto, é conveniente procurar abrigo em matas mais densas, guardando distância de árvores altas. É conveniente esperar também abaixado.
  • Afaste-se de cercas, torres de eletricidade, postes, árvores isoladas.
  • Empinar pipas, pandorgas, etc, é uma atividade arriscada (não tente refazer a experiência de Benjamin Franklin. Você poderá não ter a oportunidade de relata-la a n9inguém);
  • Convém recolher varas de pesca, e se estiver embarcado, abaixar-se como em campo aberto, recolhendo remos e outros apetrechos metálicos longos, e acomodá-los deitados em local baixo.
  • Se você acampar deitado no solo, acomode sua barraca de lado para a maior árvore das redondezas, mas guardando bons metros de distância dela. Dê preferência para barracas de cobertura arredondada tipo iglu, e sem armação metálica.
  • Afaste escadas de metal, implementos agrícolas isolados no alto das coxilhas, etc. 
Raios predominantemente são atraídos por quinas e extremidades, sobretudo as mais elevadas. Objetos pequenos, menores que você, são pouco significativos, mas podem "decidir a parada". Lembre-se, é preciso haver um atalho significativo entre o solo e a nuvem. E o que é significativo? Depende do momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário