terça-feira, 7 de maio de 2013

Polícia prende homem suspeito de estuprar a própria filha de 13 anos

Ele também agredia a esposa; em consequência dos estupros, a garota desenvolveu depressão e costumava se cortar com lâminas .



Publicação: 07/05/2013 12:00



Um homem de 34 anos foi preso na oficina onde trabalhava, no Núcleo Bandeirante, no último domingo (6/5), suspeito de estuprar de a própria filha, de 13 anos. Os abusos ocorreram entre 2009 a 2013, segundo a denúncia. O pai também é suspeito de agredir a esposa.

Segundo o delegado-chefe adjunto da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Rogério Borges, os abusos eram praticados na casa da mãe, que trabalhava fora. Ainda de acordo com Borges, a menina costumava se cortar com lâminas em consequência dos estupros. A mãe informou à polícia que estranhava os ferimentos, mas acreditava ser algo da pré-adolescência.

Em fevereiro deste ano, por meio de um telefonema, a garota revelou à mãe sobre os abusos cometidos pelo pai. No dia 2/4, a mãe foi à DPCA denunciar o marido. No mesmo dia, foi feito um exame de corpo e delito, que constatou que menina não era mais virgem. De acordo com o delegado, o exame e o relato da vítima foram os principais indícios contra o supeito.

Juntos há 17 anos, o casal possui outro filho mais novo. Conforme indica Borges, ameaças do pai contra a garota e familiares adiaram a relevação dos abusos.

Leia mais notícias em Cidades

Ainda no dia 11 de abril, o casal teve uma briga. A mulher chamou a Polícia Militar e disse que o suspeito costumava agredi-la. Dois dias depois, o pai da garota deixou a casa onde os quatro moravam. Na semana passada, ele voltou para o Distrito Federal e a polícia teve acesso a essa informação. Segundo investigações da DPCA, o homem teria se refugiado em Tocantins, até retornar ao DF.

O suspeito pode ser condenado pelo crime de estupro de vulnerável (com pena de 8 a 15 anos de prisão), agravado pelo fato dele ser pai da vítima. O Conselho Tutelar da cidade onde mora a garota foi informado sobre o caso e ela deve receber apoio psicológico, devido ao quadro depressivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário