terça-feira, 23 de abril de 2013

Seminário aborda os desafios das empresas juniores e startups


A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio promove hoje, às 14h30, no Plenário 5, seminário sobre a atuação e os desafios das empresas juniores estartups. O evento é uma iniciativa do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), com o objetivo de debater o papel dos jovens empreendedores e sua contribuição para o crescimento da economia nacional.

O conceito de startups tem origem nos Estados Unidos. São pequenas empresas, recém-criadas, que trabalham em pesquisa e desenvolvimento, têm baixo custo de manutenção e grande potencial de crescimento. Geralmente, estão ligadas à área de tecnologia.
Já o conceito de empresas juniores, ressalta Otavio Leite, chegou ao País na década 1980 por iniciativa da Câmara de Comércio Brasil-França, e já em 1988 foi fundada a Empresa Júnior Fundação Getúlio Vargas, pioneira no Brasil. “Com mais de 600 empresas juniores espalhadas pelo território nacional, o movimento ganha força e contribui de maneira consistente na preparação de jovens empreendedores”, afirma.
O deputado destaca que, apesar do grande crescimento da chamada economia virtual no Brasil, “esses empreendimentos estão cercados de grande incerteza”.
Foram convidados para o seminário:
- o representante o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Fábio de Medeiros Souza, do Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas da Secretaria de Comércio e Serviços;
- o representante do Serviço Brasileiro de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae) Nacional Stefano Portuguez;
- o representante da Associação Brasileira de Startups Roberto Mascarenhas Braga;
- o presidente da Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje), Rodrigo Paolilo;
- o diretor do Instituto Atlântico, Carlos Augusto Junqueira;
- o presidente da Brasil Júnior, Marcus Barão;
- o presidente da Lide Jovem, André Martins;
- o fundador dos Investidores Anjos do Brasil Cássio Spina;
- e o diretor-geral da Endeavor, Juliano Seabra.
Programa Start-Up Brasil
O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação lançou neste ano o programa Start-Up Brasil, que prevê investimentos para desenvolver até 40 startups em 2013, com foco em empresas nascentes de software e serviços de tecnologias da informação. A meta para o final do ano que vem é de 150 startups. Em março, foram selecionadas nove empresas aceleradoras para o programa. Elas funcionam como incubadoras, a fim de dar apoio àsstartups.

Fonte: Agência Câmara Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário