sexta-feira, 28 de setembro de 2012

CONCURSO PARA CONSELHEIROS TUTELARES DO DF É MANTIDO

O Desembargador da 4ª Turma Cível do TJDFT reconsiderou a liminar que determinava a suspensão do Edital nº 01, de 30 de Julho de 2012, do concurso aberto pelo Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente no Distrito Federal – CDCA. Com a reconsideração o concurso será realizado no próximo domingo, 30/9/ 2012.

Na decisão, o desembargador ressaltou: "Com efeito, a realização do procedimento eletivo está previsto para o próximo domingo e a sua suspensão, no momento, poderá trazer transtornos administrativos e prejuízos financeiros para a entidade".

As outras questões trazidas pela Associação dos Conselheiros Tutelares do DF serão analisadas oportunamente.

Fonte: Tribunal de Justiça do DF

Crianças preferem o Google aos Pais para tirar dúvidas


Nem professor nem pai nem mãe nem parente algum. Quando os alunos têm dúvidas, o campeão de audiência e de credibilidade é o Google. A constatação é de uma pesquisa realizada por um instituto britânico que ouviu 500 crianças com idades entre 6 e 15 anos. Do total de entrevistados, 54% preferem consultar o buscador quanto precisam checar alguma informação. E as descobertas não pararam por aí: mais de um terço (34%) das crianças não acredita que seus pais sejam capazes de ajudá-las a fazer o dever de casa; 14% não acham seus pais inteligentes.
Isso se deve, além da popularização da internet, a outras duas razões, avalia a psicóloga Natércia Tiba: a menor disponibilidade dos pais e a tendência imediatista das novas gerações. “De modo geral, pai e mãe estão no mercado de trabalho, logo não estão tão à disposição. Soma-se isso ao fato de essas crianças crescerem num ambiente em que tudo é fornecido muito rápido e está explicada a popularidade do Google. Quem é que vai querer olhar no índice de uma enciclopédia?”
De fato, a pesquisa mostrou que, imersos no mundo tecnológico, grande parte desses estudantes também passa bem longe dos materiais impressos de consulta: 19% deles não sabem o que é um dicionário impresso e 45% nunca usaram uma enciclopédia. Aliás, desconhecem até o significado do termo. Numa tentativa de adivinhar o que seria uma enciclopédia, as respostas foram de meios de transporte a instrumento cirúrgico.
A pesquisa, como se imagina, não vale só para a Grã-Bretanha. Unanimidade mundial, o site de buscas também é a página inicial de muitas crianças brasileiras. É o caso de Carlos Alberto Koji Kamei Ohara, de 10 anos. Aluno do 5º ano do ensino fundamental no Colégio Santa Maria, há três anos ele usa o Google todos os dias para fazer a tarefa de casa. “Aos 8 anos, eu aprendi a pesquisar. E me ajuda muito, principalmente em português, história e geografia. E não sou só eu que gosto. Todos os meus amigos também usam”, diz.
Mas sem o truque do “ctrl-C, ctrl-V”. O garoto explica que, para cada tema que precisa estudar, lê o conteúdo de pelo menos dois ou três links e depois reescreve com suas próprias palavras. Mas dá para confiar nas informações? “Quase sempre.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Absurdo: REVISTA COLOCA NEYMAR COMO JESUS CRUCIFICADO EM CAPA

A imprensa brasileira perdeu mesmo o respeito e os limites! Neymar crucificado como se fosse Jesus Cristo. Essa é a imagem da capa da "Placar" que chega às bancas na próxima sexta-feira. A edição de outubro da revista se propõe a discutir se o craque santista é mesmo vilão no futebol brasileiro atual.

Capa da revista "Placar" com a "crucificação de Neymar" A revista especializada em futebol trata em sua reportagem de capa sobre o que chama de "polêmica do momento no futebol brasileiro: a crucificação de Neymar". Segundo a "Placar", o jogador do Santos e da seleção brasileira, vaiado nos estádios nas últimas semanas e chamado de "cai-cai" por torcedores e por parte da mídia, virou o "bode expiatório em um esporte onde todos jogam sujo". 

Capa da revista "Placar" com a "crucificação de Neymar"

Má notícia: Consumidor pagará mais caro


A proposta prevê ainda uma faixa de isenção para as famílias que tiverem o consumo inferior a  80 kilowats. Com isso, cerca de 135 mil domicílios devem ser beneficiados, algo próximo a apenas 15% do total de residências do DF. Isso fará com que o GDF deixe de arrecadar mais de R$ 1,5 milhão em 2013. “Chega a ser absurdo esse projeto de lei do GDF, uma vez que vai contra os benefícios concedidos pelo governo federal. Sem falar que a parcela da população beneficiada com a iniciativa é mínima”, analisa o empresário Wendel Oliveira, 25 anos.
A redução de tarifas de luz anunciada pela presidenta Dilma Rousseff para os brasileiros, atingirá a conta de energia dos brasilienses, mas em menor percentual. Tudo graças à Câmara Legislativa do DF que aprovou, por unanimidade, na semana passada, o reajuste de 8% na taxa de Contribuição de Iluminação Pública (CIP) nas contas de energia das residências que consomem mais de 80 kilowats. O projeto de autoria do GDF teve um reajuste acima da inflação dos último 12 meses, que foi de 5,20%.
A previsão de arrecadação da Contribuição de Iluminação Pública, com o aumento de 8% em 2013, será de quase R$ 170 milhões, frente aos R$ 112 milhões que o GDF recebeu no ano passado. Ou seja, apesar da renúncia fiscal de quase R$ 1,5 milhão, o Executivo vai terá o incremento de quase R$ 50 milhões na sua receita no próximo ano.
De acordo com o projeto da Secretaria de Planejamento e do Gabinete do governador, os valores apresentados estão corrigidos em 8% relativos àqueles aplicados neste ano para atender as necessidades de manutenção, reposição, expansão, consumo do Parque de Iluminação Pública e relacionados aos projetos envolvendo a Copa do Mundo em 2014 e a Copa das confederações no próximo ano.
Em nota, a CEB informou que que a taxa é utilizada para o pagamento da energia elétrica consumida pelo parque de iluminação pública do Distrito Federal, para manutenção, melhoria e expansão da iluminação pública, não é utilizada, em momento algum, para infraestrutura de energia elétrica da CEB.
O texto informa ainda que cabe ao GDF a decisão de como a verba será aplicada. Segundo a autarquia, a contribuição de iluminação pública não aumenta a tarifa de energia. O aumentos na tarifa de energia é decidido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O jornal Alô Brasília procurou o secretário de Fazenda, Adonias Santiago,  para falar sobre o assunto, entretanto foi informado que ele viajou na tarde de ontem (26) a trabalho.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

CPI da Exploração Sexual pode ser prorrogada por 60 dias

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes se reunirá hoje e poderá ter seu prazo final prorrogado até dezembro. A data prevista para o encerramento dos trabalhos é 13 de outubro, mas o deputado Luiz Couto (PT-PB) vai pedir o adiamento por 60 dias porque, segundo ele, há necessidade de mais tempo para realizar depoimentos e diligências.

"Tivemos 45 audiências e 64 pessoas foram ouvidas. Faltam ainda muitos requerimentos (de depoimentos) que foram aprovados, mas não estamos tendo a oportunidade, nesse esforço concentrado, de ter essas pessoas aqui", afirmou.

Uma das pendências é a votação do pedido de convocação do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, e do diretor de Seleções da entidade, André Sanchez. O requerimento foi apresentado pela presidente da CPI, deputada Erika Kokay (PT-DF).

A parlamentar afirma que a presença dos dirigentes é importante para o esclarecimento de denúncias, publicadas na imprensa, sobre abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes em escolinhas de futebol e nas categorias de base de grandes times. Segundo a deputada, as denúncias atribuem o silêncio das vítimas às pressões exercidas pelos clubes sobre os atletas e suas famílias, com ameaças de expulsão.

Para Erika Kokay, a falta de quórum registrada nas últimas reuniões, que impede a votação do requerimento, pode estar relacionada à pressão da CBF junto aos integrantes da CPI. "Não temos nenhuma intenção de constranger o presidente da CBF ou coisa que o valha. O que estamos vendo é que há um movimento de não dar quórum na CPI, que a gente percebe desde a última reunião convocada”, diz.

“Esperamos que não seja isso, mas tememos que seja a resposta de alguns parlamentares a uma pressão inequívoca da CBF. Tem uma pressão para que ele não seja convocado. E eu quero saber o que teme o presidente da CBF", completa a presidente da CPI.

Kokay afirma pretende discutir uma parceria da CPI com a CBF na proteção dos direitos da criança e do adolescente, para evitar casos de abusos.

Fonte: Agência Câmara

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Ministério da Saúde ignora explicações a Bancada Evangélica sobre aborto

Os parlamentares da Bancada Evangélica resolveram encaminhar novo documento pedindo explicações ao Ministério da Saúde sobre o convênio de cooperação entre o Ministério e a Fundação Oswaldo Cruz incentivando pesquisas pró-aborto.

O deputado federal, pastor Marco Feliciano, já havia alertado sobre a atitude do Ministério em ignorar requerimentos da Bancada por explicações sobre o tal convênio.

Os parlamentares acusam o Ministério de ter respondido de forma evasiva os primeiros requerimentos e decidiram solicitar novas explicações sobre o assunto. Os novos requerimentos foram protocolados na última quarta-feira (5).

De acordo com as informações, o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz celebram o Termo de Cooperação para pesquisas sobre despenalização do aborto desde 2009 e atualmente o Termo foi renovado. Desde então, a Fundação, em parceria com o Ministério, pesquisa e estuda o aborto no Brasil, bem como sua descriminalização.

O requerimento foi assinado pelos deputados João Campos, Arolde de Oliveira, pastor Eurico, Ronaldo Nogueira, Leonardo Quintão, Lauriete, Lourival Mendes, Suely Vidigal, Filipe Pereira, Nilton Capixaba, Roberto de Lucena, Ronaldo Fonseca, Josué Bengtson, Zéquinha Marinho, Marcos Rogério, Costa Ferreira, doutor Grilo e Lincon Portela.

Termo de Cooperação pró-aborto

No ano de 2009 o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz celebraram um Termo de Cooperação que tem como objetivo o estudo e a pesquisa sobre a despenalização do aborto no Brasil. O Termo de Cooperação 137/2009. Na data de 05 de outubro do ano de 2010, na seção 3 do Diário Oficial da União encontramos a publicação do primeiro termo aditivo ao Termo de Cooperação 137/2009 prorrogando a vigência do mesmo até a data de 04 de fevereiro de 2011. E ainda na vigência do Termo de Cooperação 137/2009, o Ministério da Saúde celebra novo convênio com a mesma Fundação Oswaldo Cruz que tem como objetivo “dar apoio financeiro para estudo e pesquisa sobre aborto no Brasil”.

Este novo convênio foi publicado no Diário Oficial na data de 23 de dezembro de 2010 extraído do processo nº 25000.213071/2010-81, passando a ser conhecido como Termo de Cooperação 217/2010. Também no Diário Oficial identificamos que foi liberado para a Fundação Oswaldo Cruz o valor de R$ 121.990,00 (cento e vinte e um mil novecentos e noventa reais), referente ao Termo de Cooperação 217/2010, conforme Nota de Empenho 400511 de 17/02/2010.

Um ano depois, ou seja, na data de 22 de dezembro de 2011, o Diário Oficial na Seção 03, trouxe a publicação do TERMO ADITIVO AO TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº 217/2010, com a finalidade de prorrogar até a data de 15 de dezembro de 2012 o referido convênio.

Após dezoito dias, mas precisamente na data de 09 de janeiro de 2012, o Diário Oficial da União na Seção 3 já apresenta o SEGUNDO TERMO ADITIVO AO TERMO DE COOPERAÇÃO 217/2010 prorrogando os trabalhos de estudos e pesquisas da Fundação Oswaldo Cruz sobre aborto no Brasil até 30 de Agosto de 2012.

Desde 2009 a Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com o Ministério da Saúde pesquisa e estuda o aborto no Brasil bem como sua descriminalização.

Fonte: Gospel Prime

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Tribunal de Contas quer explicações sobre 800 mil gastos pelo MEC no Kit Gay


Mesmo diante da proibição da presidente Dilma Rousseff sobre a distribuição do “kit gay” o Ministério da Educação (MEC) teria acumulado um prejuízo de R$800 mil.

O Tribunal de Contas da União (TCU) já cobrou do MEC explicações sobre o valor. Segundo o TCU, o material produzido antes do veto da presidente após pressão da bancada evangélica, seria encaminhado as escolas. O kit continha três vídeos e um guia para professores, que seria voltado para alunos do ensino médio (a partir de 14 anos).

Apesar de tentar justificar dizendo que o material estaria guardado e que poderia ser utilizado pelo ministério o Tribunal não se convenceu e pediu que o órgão explique as razões técnicas para o arquivamento do material e informe qual foi a autoridade superior do governo responsável por autorizar o kit.

Caso o tribunal entenda que houve prejuízo, deve ser aberta tomada de contas especial para cobrar a reparação dos danos causados.

O MEC afirmou que não foi notificado e que deverá “se reportar exclusivamente” ao TCU. Haddad, responsável na época pelo ‘kit gay’, não vai se manifestar sobre o caso.

Fonte: Portal Fé em Jesus

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Vitória: pastor Youcef Nadarkhani é libertado da prisão iraniana

 


Hoje é um dia de muita celebração. Depois de definhar na prisão por quase três anos, sob a ameaça de execução por sua fé, pastor Youcef Nadarkhani foi libertado da prisão e absolvido da acusação de apostasia.

Pastor Youcef foi convocado a comparecer diante do tribunal na manhã deste sábado (8) para tratar das acusações apresentadas contra ele. Sua audiência durou quase seis horas. Mas, no final, ele foi libertado e pode voltar para casa e para sua família.

Ele foi acusado e condenado por evangelizar os muçulmanos. De acordo com fontes próximas ao caso, o tribunal condenou o pastor Youcef a três anos de prisão, lhe concedendo tempo de serviço, o que significa que sua sentença de prisão já tenha sido concluída (o pastor está preso desde 2009).

“Suas orações foram ouvidas”, comemora o site do Centro Americano para Lei e Justiça, que acompanhava o caso de perto e lutava pela liberdade do pastor iraniano.

Retrospectiva do caso

Youcef Nadarkhani foi preso em outubro de 2009, acusado de apostasia e propagação do evangelho a muçulmanos.

Em setembro de 2011, a agência iraniana de notícias semi-oficial, Fars News, informou que Nadarkhani foi a julgamento por acusações de estupro, extorsão e sionismo.

Documentos do tribunal que vazaram dias depois esclareceram que Nadarkhani foi, de fato, julgado por apostasia; críticos suspeitaram que o relatório falho da Fars News não passasse de uma tentativa de aliviar a pressão internacional sobre as acusações baseadas na fé e religião de Nadarkhani.

Países, incluindo Grã-Bretanha, Estados Unidos e Brasil, têm se pronunciado a favor da libertação de Nadarkhani.

Após passar por prisões em 2006 e 2009, o pastor Yousef foi preso em junho de 2010 sob a acusação de apostasia, liderar igrejas domésticas e proselitismo a muçulmanos. Em setembro do mesmo ano foi condenado por um tribunal regional à morte por enforcamento.

Por causa da pressão internacional, a sentença não foi colocada em prática.

Fonte: Site Fé em Jesus

sábado, 8 de setembro de 2012

Nordeste concentra 40% do consumo de crack no Brasil, aponta estudo

O consumo de crack e outros derivados de cocaína no Brasil está mais concentrado no Nordeste, com 40% do total, de acordo com o segundo Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Em seguida, aparecem o Sudeste (36%) e o Centro-Oeste (22%). Sul e Norte têm 1% cada.

Para a pesquisadora Clarice Madruga, que coordenou o estudo na Unidade de Pesquisas em Álcool e Drogas (Uniad) da Unifesp, o aumento do uso na Região Nordeste pode ter relação com a menor renda da população, pois essa é uma droga barata – com preço até cinco vezes mais baixo que no exterior.

"Já no Sul, existe a hipótese de que os três estados estejam seguindo o padrão europeu, onde a cocaína e seus derivados têm sido substituídos por substâncias sintéticas, como ecstasy e anfetaminas", sugere Clarice.

No caso do Norte, poderia haver uma menor disponibilidade de crack e a região funcionaria mais como rota da droga, que chega pela Colômbia, Bolívia e Peru. Isso tudo, porém, é apenas uma especulação, já que não existem dados anteriores que comprovem essas teorias. "O porquê mesmo é difícil de explicar", diz.

Clarice destaca que esse tipo de estudo domiciliar, que entrevistou 4.607 pessoas em 149 municípios das cinco regiões, não é ideal para avaliar o número de consumidores de crack no Brasil, pois os usuários estão geralmente concentrados nas ruas, em redutos como a Cracolândia paulistana – razão pela qual os dados devem estar subestimados.

Segundo o psiquiatra Marcelo Ribeiro, também pesquisador da Unifesp, o crack e o óxi estão mais presentes no Nordeste, no Sudeste e no Sul, enquanto a merla – que é uma pasta mais mole e "suja" da cocaína, por conter mais resíduos, embora isso não interfira no efeito – é mais encontrada no Centro-Oeste e no Norte.

"Aparentemente, há um consumo no Sul que carece de uma análise estatística mais aprofundada, levando em conta outras variáveis, como sexo, idade, classe social e uso de outras drogas", cita Ribeiro.

De acordo com o médico, esses três derivados mais comuns da cocaína passam por um processo de refinamento que leva diferentes produtos químicos, como querosene, gasolina, cal virgem, ácido clorídrico, carbonato de cálcio, bicarbonato de sódio, acetona e éter, entre outras substâncias.

Uso geral de cocaína e derivados

Na quarta-feira (5), a Unifesp divulgou dados gerais sobre a presença de cocaína e derivados no Brasil. A droga se mostrou três vezes maior nas áreas urbanas, com principal incidência no Sudeste – 46% dos usuários, ou 1,4 milhão de pessoas. Depois vêm o Nordeste (27%), o Norte e o Centro-Oeste (10% cada), e o Sul (7%).

Em breve, o Lenad deve divulgar outras partes do estudo, que se referem ao consumo de álcool e cigarro no país.

Fonte: Fé em Jesus

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Brasil é o maior consumidor de crack do mundo, revela estudo

O Brasil é o maior mercado mundial do crack e o segundo maior de cocaína, conforme revelou o Instituto Nacional de Pesquisa de Políticas Públicas do Álcool e Outras Drogas (Inpad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Os dados do estudo - que ouviu 4,6 mil pessoas com mais de 14 anos em 149 municípios do País - foram apresentados nesta quarta-feira na capital paulista. ...

Os resultados do pesquisa, que tem o nome de Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), apontam ainda que o Brasil representa 20% do consumo mundial do crack. A cocaína fumada (crack e oxi) já foi usada pelo menos uma vez por 2,6 milhões de brasileiros, representando 1,4% dos adultos. Os adolescentes que já experimentaram esse tipo da droga foram 150 mil, o equivalente a 1%.

De acordo com o relatório, cerca de 4% da população adulta brasileira, 6 milhões de pessoas, já experimentaram cocaína alguma vez na vida. Entre os adolescentes, jovens de 14 a 18 anos, 44 mil admitiram já ter usado a droga, o equivalente a 3% desse público. Em 2011, 2,6 milhões de adultos e 244 mil adolescentes usaram cocaína.

O levantamento do Inpad revelou também que a cocaína usada via intranasal (cheirada) é a mais comum. Aproximadamente 5,6 milhões de pessoas já a experimentaram na vida e, somente no último ano, 2,3 milhões fizeram uso. Entre os adolescentes, o uso é menor, 316 mil experimentaram durante a vida e 226 mil usaram no último ano.

A pesquisa também comparou o consumo de cocaína nas regiões brasileiras em 2011. No Sudeste está concentrado o maior número de usuários, 46% deles. No Nordeste estão 27%, no Norte 10%, Centro-Oeste 10% e Sul 7%. Relatórios com resultado e metodologia estão na página do Inpad na internet.

Fonte: Revista IstoÉ

domingo, 2 de setembro de 2012

Desigualdade atinge jovens de todas as idades no DF


Desigualdade atinge jovens de todas as idades no DF
Agência Brasília - Pesquisa da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), realizada em 2010 e divulgada nesta quinta-feira 30, aponta que a população jovem do DF é majoritariamente feminina e negra. Além disso, o levantamento demonstrou que pelo menos 50% daqueles entre 20 e 24 anos não mais frequentam instituições educacionais. Ou seja, há evasão escolar após conclusão do ensino médio.
Segundo a Codeplan, o contingente sai da sala de aula e entra no mercado de trabalho. Reforça essa hipótese o rendimento nominal médio dos jovens de diferentes faixas etárias demonstrado na pesquisa. Aqueles entre 25 e 29 anos têm renda 1,78 vezes superior do que os que estão na faixa dos 18 aos 24 anos. Esses apresentam rendimento 3,45 vezes maior do que os jovens de 15 a 17 anos. "Maiores rendimento podem indicar trabalho em tempo integral, o que dificultaria a continuidade dos estudos", destaca a pesquisa.
Distribuição da renda
Os valores mais baixos se concentram na faixa etária de 15 a 17 anos, que, por se tratar de idade escolar, não conta com grande número de jovens trabalhadores. Nesse grupo etário, os adolescentes com rendimento mais baixo residem em Planaltina, Recanto das Emas, Santa Maria e Brazlândia (abaixo de R$ 400,00), e aqueles com rendimento mais alto estão no Lago Sul e em Brasília (acima de R$ 1.794,20).
A desigualdade também se manifesta na faixa etária seguinte, de 18 a 24 anos, com valores próximos a R$700,00 em Planaltina e no Recanto das Emas; e valor acima de R$ 2 mil no Lago Sul. A última faixa etária de jovens, de 25 a 29 anos, também tem seu rendimento mais baixo no Recanto das Emas: R$ 885,01. O rendimento nominal médio mais alto desse grupo ocorre no Cruzeiro, com R$ 4.059,99.
Regiões
Em 2010, os jovens representavam 28,60% da população do Distrito Federal, quase metade se encontrava na faixa etária entre 18 e 24 anos. Lago Sul, Brasília e Cruzeiro são as regiões censitárias que apresentam a menor proporção de jovens, enquanto Paranoá e São Sebastião contam com mais de 32% de pessoas entre 15 e 29 anos em sua população.
A população feminina de jovens no Distrito Federal é ligeiramente maior que a masculina, o que também ocorre nas regiões censitárias. São Sebastião, Brazlândia e Lago Sul são as únicas regiões que apresentam maioria masculina.
Quanto à raça/cor, mais da metade da população jovem do Distrito Federal declarou ser parda (50,4%), seguida de brancos (38,94%), negros (8,61%), amarelos (1,82) e indígenas (0,23). O Lago Sul tem a maior proporção de jovens brancos (73,7%) e a menor de jovens que se declaram pardos (21,86%) e negros (3,43%). Recanto das Emas, Planaltina, São Sebastião e Santa Maria têm em torno de 29% de jovens brancos e 57% de pardos.

Descaso com a juventude: Consumo de maconha, cocaína e crack em escolas cresceu 13% este ano

O tempo em sala de aula não se limita mais ao ensinamento de disciplinas básicas. Entre uma matéria e outra, as escolas do Distrito Federal precisam se desdobrar para serem mais um agente no combate às drogas, dentro e fora dos muros da instituição. Com poucos recursos, professores e diretores presenciam diariamente o envolvimento de estudantes com o uso e até com o tráfico de entorpecentes, um caminho que não raras vezes termina em prisão ou morte. Ainda que as estatísticas não descrevam por completo a realidade do ambiente de ensino, elas indicam a proximidade crescente entre esse submundo e os alunos. Cenário que vem se tornando comum, tanto na rede pública quanto na particular.

A invasão das drogas nas instituições de ensino é tema de uma série de reportagens que o Correio publica a partir de hoje. Levantamento feito pela Secretaria de Segurança Pública a pedido do jornal revela que, de janeiro a julho deste ano, cresceu 13% a quantidade de ocorrências relacionadas ao uso de substâncias ilícitas em um raio de até 100 metros das 1.095 unidades educacionais distribuídas na capital brasileira (veja arte). Em 2012, a polícia já flagrou 661 pessoas consumindo maconha, cocaína ou crack nas imediações ou dentro de escolas. São seis casos por dia letivo — devido à greve, de janeiro a julho foram 105 dias com aulas —, fora o consumo que passa despercebido das autoridades. A cidade que mais concentra o delito é Ceilândia, com 75 ocorrências.

Fonte: CorreioWeb