domingo, 4 de março de 2012

Dia Internacional da Mulher: A verdadeira comemoração é a sua valorização

Como estamos nos aproximando do Dia Internacional das Mulheres, pesquisei alguns dados sobre como anda o combate a Violência contra Mulher. Veremos que ainda há muito o que avançar, mas a Lei Maria da Penha foi um excelente marco para conscientização da sociedade no que se refere aos abusos sofridos pelas mulheres, muitas vezes dentro de casa.

Vejamos alguns dados colhidos de pesquisas recentes sobre a Violência contra a mulher:


- Seis em cada 10 brasileiros conhecem alguma mulher que foi vítima de violência doméstica.

- Machismo (46%) e alcoolismo (31%) são apontados como principais fatores que contribuem para a violência.

- 94% conhecem a Lei Maria da Penha, mas apenas 13% sabem seu conteúdo. A maioria das pessoas (60%) pensa que, ao ser denunciado, o agressor vai preso;

- 52% acham que juízes e policiais desqualificam o problema.

- 91% dos homens dizem considerar que “bater em mulher é errado em qualquer situação”. - Uma em cada cinco mulheres consideram já ter sofrido alguma vez “algum tipo de violência de parte de algum homem, conhecido ou desconhecido”.

- O parceiro (marido ou namorado) é o responsável por mais 80% dos casos reportados.

- Cerca de seis em cada sete mulheres (84%) e homens (85%) já ouviram falar da Lei Maria da Penha e cerca de quatro em cada cinco (78% e 80% respectivamente) têm uma percepção positiva da mesma.

- O medo continua sendo a razão principal (68%) para evitar a denúncia dos agressores. Em 66% dos casos, os responsáveis pelas agressões foram os maridos ou companheiros.

- 66% das brasileiras acham que a violência doméstica e familiar contra as mulheres aumentou, mas 60% acreditam que a proteção contra este tipo de agressão melhorou após a criação da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006)

- Realizado em 2011, o levantamento indica que o conhecimento sobre a Lei Maria da Penha cresceu nos últimos dois anos: 98% disseram já ter ouvido falar na lei, contra 83% em 2009.

Dados atualizados sobre Serviços de Atendimento à Mulher disponíveis no país:


O Brasil tem mais de 5.500 municípios e apenas:

  • 190 Centros de Referência (atenção social, psicológica e orientação jurídica);
  • 72 Casas Abrigo;
  • 466 Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher
  • 93 Juizados Especializadas e Varas adaptadas
  • 57 Defensorias Especializadas
  • 21 Promotorias Especializadas
  • 12 Serviços de Responsabilização e Educação do Agressor
  • 21 Promotorias/Núcleos de Gênero no Ministério Público

Fonte: Secretaria de Políticas para as Mulheres e Agência Patricia Galvão


logo_ligue100_2011

Ligue 180 registra quase 2 mil ligações por dia em 2011

Saiba mais sobre os números da Central de Atendimento à Mulher - Ligue 180

Nenhum comentário:

Postar um comentário