sábado, 30 de julho de 2011

Do vício libertário que potencializa a criatividade à vida "chapada"

A falsa ideia de que as drogas potencializam a criatividade, retratada na trajetória de Amy Winehouse, tem vários adeptos no país. Segundo especialistas, os usuários seriam mais talentosos e saudáveis se largassem os entorpecentes

Publicação: 30/07/2011 08:00 Atualização:
Ex-integrante de uma banda de reggae, Patric* tenta vencer a dependência química:
Ex-integrante de uma banda de reggae, Patric* tenta vencer a dependência química: "Quando tocava doidão (...) me atrapalhava com a guitarra"

Apesar das evidências em contrário, inclusive científicas, o mito de que a droga que destrói o artista é também a fonte de seu talento persiste. Mesmo diante das cenas degradantes protagonizadas pela cantora Amy Winehouse, morta há uma semana por causas ainda não conhecidas, fãs cultuam os hábitos da britânica. Quando viva, não eram incomuns mensagens em redes sociais do tipo “Você é melhor chapada, Amy”. Depois de morta, comentários associando o uso de entorpecentes a um estilo de vida libertário praticado pela diva do soul continuam a pipocar. O glamour em torno das drogas como meio de potencializar aptidões ou atitudes, porém, não se restringe ao show bussiness. Na vida real, são muitas as histórias de quem se perdeu achando que melhorava a cada dose.

Com olhos verdes e rosto de criança, Juliano* tomava LSD antes de assumir a bateria de sua extinta banda. “Eu achava que estava tocando muito, depois a galera vinha me dizer que eu tinha errado. Com o tempo, comecei a ver três pedais em vez de dois. Perdi o controle, fui preso, cheguei ao limite”, conta o garoto de 18 anos. Há sete dias numa clínica de reabilitação, ele lembra como tudo começou. “Nunca fui de beber, até porque meu pai é alcoólatra, mas comecei a fumar (maconha). A gente fumava um para planejar onde ia ser o ensaio, outro para começar, fazia um intervalo para fumar mais um, depois outro para finalizar”, conta.

O raciocínio não passa de uma estratégia, segundo o psiquiatra Carlos Salgado, presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas. “O dependente tem necessidade de justificar o uso. Então, ele relaciona a substância com o desempenho em algo”, afirma. Do ponto de vista médico, ele garante que a associação entre performance e drogas não passa de mito. “Isso se formou em virtude de uma caricatura, difundida até por intelectuais que, apesar do uso de substâncias, se saem bem. Eles poderiam ser muito mais talentosos sem a droga”, diz Salgado. Mesmo quando o assunto é a maconha, aclamada como um entorpecente leve, estudos científicos mostram os prejuízos causados. 

Uma das mais importantes pesquisas, realizada na Nova Zelândia, aponta para a ocorrência de surtos psicóticos em 10% dos adolescentes que usam maconha. “A droga antecipa esse quadro psiquiátrico que poderia ficar adormecido. Disso, a ciência tem certeza, assim como já sabemos que as drogas prejudicam a memória, a concentração e a persistência, funções absolutamente importantes em um processo criativo”, diz Ronaldo Laranjeira, PhD em psiquiatria pela Universidade de Londres e professor da Universidade Federal de São Paulo. “O problema é que as pessoas confundem o prazer que a droga proporciona com a falsa sensação de desempenhar bem uma atividade. A dependência é uma doença, que nada tem de glamourosa.”

Hoje, Patrick* compreende com clareza o que o especialista diz. “Quando tocava doidão, depois de cheirar cocaína, tomar um ecstasy ou LSD, eu ficava sem coordenação e me atrapalhava com a guitarra”, lembra o rapaz de 26 anos, que liderou uma conhecida banda de reggae da cidade e está na segunda internação, há 60 dias, para tratar a dependência. Os altos e baixos pontuaram a vida de Patrick desde os 12, no primeiro contato com maconha. O jovem, que chegou a ser preso por tráfico, tenta reinventar a vida. “A droga me cercou de gente que só usava droga. Vou precisar mudar minha forma de viver.”

* Nomes fictícios
Base científica
Pesquisa do Laboratório de Neurociências Clínicas da Universidade Federal de São Paulo estudou uma amostra de 173 usuários crônicos de maconha, que fumam de um a dois cigarros por dia há pelo menos 10 anos. O grupo passou por testes neuropsicológicos que medem as funções de processar e organizar informações do cérebro. Em todos os quesitos, os usuários tiveram desempenho muito abaixo do obtido pelo grupo de controle (com perfil parecido em termos de idade e escolaridade). No teste de memória, por exemplo, os não usuários precisaram de 34 repetições, enquanto os que fazem uso de maconha necessitaram de 50.
Fonte: CorreioWeb

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Revisão de Vidas - Não perca!

REVISAO VIDAS.jpg

Grandes empresas atraem jovens talentos com estágio no exterior


Vai começar uma nova temporada para contratação de trainees. Grandes empresas, principalmente multinacionais, estão endurecendo na hora de selecionar, mas estão oferecendo treinamento no exterior aos jovens talentos.
Um ano depois de ingressar no programa de trainee, a gerente de recrutamento e seleção, Isabela Garbes foi alçada à gerência. Agora, ela ensina o caminho das pedras para o novato Jonathan Ka Hun Tso.
O talento contou, mas conhecer o funcionamento da companhia na sede dos Estados Unidos também fez a diferença. “Entender que você faz parte de um todo muito maior foi fundamental e essa visão a gente só conseguiu ter lá fora”, diz Isabela.
Jonathan se prepara para a primeira viagem internacional a trabalho. Ele embarca essa semana. “Vou ter uma visão do trabalho que eles fazem lá e como as decisões que são tomadas globalmente vão descendo as ações que a gente toma aqui localmente. Acho que isso vai ser o mais importante. Depois disso é continuar trabalhando para quem sabe um dia chegar lá e começar a tomar decisões globais também”, diz Jonathan.
As viagens internacionais e a chance de trabalho lá fora são estratégias usadas cada vez mais para atrair os jovens talentos.
De acordo com a Associação Brasileira de Recursos Humanos, nos últimos cinco anos empresas multinacionais dobraram a quantidade de trainees que vão para o exterior.
A cada dois anos, mais de dez mil pessoas se inscrevem  para disputar uma vaga de trainee numa multinacional de alimentos. De todas, apenas três conseguem a vaga e também a chance de passar uma temporada no exterior. Uma peneira digna de seleção.
Os vitoriosos ficam, em média, um ano trabalhando fora do país. O intercâmbio lá fora traz trainees mais experientes. Mas também leva o jeito brasileiro de trabalhar para a matriz. A trainee Kátia Regina ajudou a montar, na Suíça, uma nova estrutura para o RH da companhia, que vai ser usada no mundo todo.
“É um orgulho você saber poxa: sou brasileira, estou num projeto global, to fora do país e tão seguindo as nossas diretrizes, as nossas características. Acredito que eu tenho muito mais consistência profissional, muito mais competitividade no mercado”, fala Kátia.
Clique aqui e veja lista de oportunidades de estágios e trainee.
Fonte: Jornal da Globo

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Dez passos para pagar suas dívidas

Confira na tabela os dez passos para liquidar os débitos e abaixo o texto completo para você colocar as orientações em prática.



1.Livre-se da vergonha
Este é o primeiro passo para construir uma estratégia eficiente para livrar-se das dívidas. Em geral nos sentimos tão culpados e envergonhados pelas prestações que acumulamos e não conseguimos pagar que corremos atrás de novos financiamentos, cada vez mais caros, para ir pagando contas em atraso. Esqueça. Não é acumulando novos papagaios que você sairá do buraco financeiro em que se meteu. Por isso, livre-se da culpa e da vergonha e comece agora a montar uma estratégia financeira.

2. Enxergue o tamanho do problema
Nunca comece a pagar suas dívidas sem traçar uma estratégia. Na maioria dos casos você vai jogar dinheiro fora. Então o melhor é saber quanto você deve e para quem. Faça uma relação de todos os seus credores e veja quanto deve a cada um deles. Você pode fazer isso com um lápis e papel ou pelo computador acessando o Sistema de Informação de Crédito do Banco Central. Esta é uma ferramenta que você pode acessar pela internet, mas precisa pegar sua senha numa agência do Banco Central ou enviando sua documentação pelo correio. Por meio desta ferramenta você conseguirá enxergar todas as suas dívidas, o custo, o fluxo de pagamentos e ainda quais já estão vencidas.
Clique aqui para encontrar um manual para conhecer mais o SCR.
3. Separe 30% do orçamento para pagar as dívidas
Não adianta querer pagar suas dívidas rapidamente. Portanto, não comprometa mais do que 30% de seu orçamento para pagar os credores. Por quê? Porque este é o limite que os analistas consideram razoável para que você consiga manter-se firme na estratégia até o fim. Se comprometer mais do que esta fatia ao pagamento das dívidas não conseguirá ir até o fim do processo, pois são grandes as chances de fraquejar no meio do caminho. Afinal, você precisa ter dinheiro para comer, passear, pagar aluguel, enfim, viver de uma forma saudável que não comprometa sua saúde física e mental.
4. Faça um ranking das dívidas mais caras
Sabe aquele mapa das suas dívidas que você pegou no Banco Central (passo 2) ? Pois bem, use-o mais uma vez para saber quais são as suas dívidas mais caras. Em geral, o melhor é começar pagando as dívidas mais caras e no topo do ranking costuma estar o cheque especial. Faça um ranking decrescente de seus credores e comece tentando negociar com aqueles que têm o maior custo. O custo de um endividamento é a taxa que você paga por ele.

5. Procure ajuda
Ajuda sempre é bem-vinda. Mas cuidado. Não se iluda com aqueles anúncios mirabolantes que prometem resolver seu problema com dívidas da noite para o dia. Isso não existe. O melhor é procurar ajuda de órgãos oficiais, pois além de não precisar fazer nenhum desembolso (são serviços gratuitos) eles têm times altamente treinados e acostumados com este tipo de problema. Nos órgãos de defesa do consumidor, por exemplo, você saberá quais as taxas que podem ser cobradas e quais aquelas que são abusivas. Procon, Idec, defensoria pública do estado, todos esses são bons caminhos a percorrer para buscar suporte na hora de renegociar suas dívidas.

6. Converse com o gerente 
Não é brincadeira. Este é seu maior aliado na hora de renegociar a dívida. Aquele mesmo que ofereceu rios de crédito para você, dívida que você hoje não pode pagar, é quem tem que ajudá-lo a resolver o problema. Pegue aquele documento do Banco Central, que mostra todas as suas dívidas (passo2) e leve-o para a conversa com o gerente. Diga que quer pagar, mas precisa de ajuda. E mostre o tamanho do problema.

7. Avise a família 
Os piores momentos de quem está endividado são aqueles em que você tem que fazer verdadeiros malabarismos para que familiares e credores não se encontrem. A mulher, o marido, os pais, os filhos, ter que montar uma logística para desviá-los uns dos outros não é simples. Correr para atender o telefone, cercar o carteiro para pegar primeiro as cartas e destruir as de cobrança, enfim, você sabe bem o trabalho que dá. É um processo vai sugar suas energias e criatividade e neste momento você precisa concentrar todos os seus esforços nas negociações com credores. Portanto, conte logo que tem problemas com dívidas. Se eles vão brigar? Pode apostar. E você ainda poderá ouvir alguns desaforos. Mas releve, eles não sabem ainda que você está em pleno processo de renegociação. Chame-os para fazer uma visita aqui no site e ver quantas outras pessoas estão na mesma situação.

8. Tenha paciência
Não existem soluções milagrosas para você quitar suas dívidas. Não espere encontrar um daqueles remédios anunciados na TV para perder peso em uma semana. Pergunte a qualquer médico, minimamente sério, e ele dirá que isso é impossível. Emagrecer de forma saudável requer disciplina. Livrar-se das dívidas também. Não existe Porangaba (“o chá que emagrece”) para as dívidas. E o pior é que talvez seja rápido emagrecer do que ficar sem dívidas. Mas como não há mal que sempre dure, a boa notícia é que você pode se divertir muito enquanto põe as contas em dia.

9. Faça exercícios
Faça exercícios sempre, com ou sem dívidas. Eles vão ajudar seu corpo e mente. E sempre que a tristeza, a preocupação, a ansiedade e a depressão quiserem lhe fazer companhia, corra. Corra mesmo, no parque, nas ruas do bairro ou na academia. Movimentar o corpo vai lhe trazer bem-estar e mais anos de vida, pois exercícios físicos são grandes aliados da longevidade.
10. Comemore
Cada mês que você conseguir eliminar uma das etapas da sua reestruturação financeira, seja quitando uma dívida ou mesmo uma parcela, comemore com a família e os amigos. Esta também é uma conquista, você merece festejar!
Fonte: Jornal da Globo


sexta-feira, 22 de julho de 2011

Censo aponta que 1,2 milhão de pobres vivem sem qualquer ajuda do governo



Cidade de inauguração do Fome Zero, Guaribas (PI) ainda tem moradores com dificuldades para sobreviver (Edilson Rodrigues/CB/D.A Press - 29/4/10)
Cidade de inauguração do Fome Zero, Guaribas (PI) ainda tem moradores com dificuldades para sobreviver
Um dos objetivos do plano Brasil Sem Miséria, lançado em junho deste ano pela presidente Dilma Rousseff, é estimular a chamada busca ativa. Essa iniciativa fará com que agentes do Estado promovam mutirões para localizar famílias que estão fora do círculo de programas sociais do governo federal. Os resultados da edição 2010 do Censo do Sistema Único de Assistência Social (Suas), divulgados ontem pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), em Brasília, mostram que a tarefa será complexa. Atualmente, estima-se que 1,2 milhão de pessoas — a maioria nas regiões Norte e Nordeste — que vivem em situação de extrema pobreza, ou seja, com renda familiar per capita de até R$ 70 por mês, não são beneficiadas por qualquer ação social do governo.

O número representa quase 10% das 16 milhões de pessoas identificadas na linha da extrema pobreza, segundo a Presidência da República. Mas esse não é o único dado preocupante em relação ao atual panorama da assistência social do Brasil. A pesquisa revelou ainda que 129 municípios brasileiros não têm Centros de Referência de Assistência Social (Cras). Essas estruturas funcionam como eixo principal para o ingresso no Suas e, a partir disso, são usadas na articulação de outros serviços de assistência social, na prevenção de situações de vulnerabilidade e risco.“Os municípios que não possuem um Cras estão fora do que entendemos ser os participantes do Suas. Quando isso acontece, o governo trabalha no sentido de apoiar e viabilizar a construção desses centros. Algumas localidades, porém, não têm o Cras e, mesmo assim, fazem parte do Sistema Único de Assistência Social porque cumprem outras exigências. Atualmente, há 25 municípios nessa situação”, explica Denise Colin, secretária nacional de Assistência Social do MDS. A secretária ressalta que, apesar de 1,2 milhão de pessoas não terem acesso aos programas sociais do governo, o trabalho do ministério tem surtido efeito. De acordo com ela, cerca de 60 milhões de brasileiros são beneficiados por alguma dessas ações.  O censo indicou que o número de Cras subiu de 4,2 mil unidades, em 2007, para 6,8 mil em 2010.  Além disso, o aumento dos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), locais especializados em atender pessoas em situação de ameaça ou violação de direitos, pulou, em 2009, de 1,2 mil unidades em 1.099 municípios para 1.590 unidades em 1.463 cidades, em 2010.Em defesaNo mesmo dia em que as brechas dos programas assistenciais foram evidenciadas, de Salvador, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vangloriou-se da política adotada em seu governo. Segundo ele, os presidentes anteriores “governavam para um terço da população”. Lula recorreu ainda a preceitos religiosos em defesa da igualdade de condições econômicas e sociais no país: “É preciso acabar com essa bobagem que inventaram de que pobre vai ganhar o reino dos céus e de que é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico ir para o céu (….) porque, para o rico, o céu é aqui e o pobre também quer o céu agora, e vivo”.Lula estava no lançamento do Plano Safra da Agricultura e Pecuária da Bahia 2011-2012.  À tarde, embarcou para o Recife, onde foi homenageado, à noite, pela Orquestra Criança Cidadã Meninos do Coque. Durante a cerimônia, falou sobre a crise nos Transportes: “Se tem denúncia, apura, investiga, pune quem tiver que punir e acabou”. Ontem, o minis-tro do Planejamento, Paulo Bernardo, também comentou os problemas com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit): “Supor que não tem nenhum problema é quase impossível”.]

Fonte: CorreioWeb

terça-feira, 19 de julho de 2011

Boa Notícia: Globo e SBT orientam autores a "baixar bola" de personagens gays

Durou pouco a chamada "primavera gay" na TV aberta, que culminou no primeiro beijo lésbico numa novela brasileira, em maio, no SBT. Tanto a emissora de Silvio Santos como a Globo deram nos últimos 60 dias uma guinada nos rumos da dramaturgia, e passaram a dar ordens implícitas ou explícitas a seus autores, para que baixem a bola de cenas gays nas histórias. Oficialmente, a decisão se deve a uma suposta "overdose" do tema.

Um ajudante de novelista da Globo, que pede para não ser identificado, disse em entrevista que recebeu "aviso verbal" do autor para que não perdesse tempo elaborando personagens e cenas gays --sejam entre homens ou mulheres--, pois seriam cortadas.

Fonte: Folha.com.br

Absurdo: Marcha para Jesus não fará parte do calendário de eventos do GDF


O Conselho Especial do TJDFT concedeu liminar para suspender a legalidade  que inclui a marcha para Jesus no calendário oficial de eventos do GDF e destina recursos para o evento. A decisão foi unânime e seu efeito vigora até a decisão definitiva do Conselho.
O governador ajuizou Ação Direta de Inconstitucionalidade, por considerar que a lei fere a Lei Orgânica do DF - LODF ao criar nova atribuição para a Administração Pública e ao prever aumento de despesa. Ele alegou ainda que a norma, ao dispor sobre matéria reservada à iniciativa privativa do Chefe do Poder Executivo, violou o princípio da separação dos poderes.

O presidente da Câmara Legislativa, ao prestar informações, disse não estarem presentes os requisitos para que a liminar pleiteada seja concedida. Afirmou que não há urgência no pedido de liminar, visto que a ação foi ajuizada 13 anos após sua promulgação e que o suposto aumento não possui qualquer relevância, pois o que houve foi apenas a inclusão de uma celebração no calendário de Comemorações de Brasília.O relator do processo considerou que para se conceder a liminar são necessários dois requisitos: a plausibilidade do direito alegado e o perigo da demora na prestação judicial.Em relação ao primeiro, afirmou que a norma sofre do vício de inconstitucionalidade formal. Já que a lei versa sobre atribuição de órgão da Administração Pública e cria despesa para o DF, deveria ter sido fruto de projeto de lei de autoria do governador e não parlamentar, de acordo com o previsto na LODF. Quanto ao segundo requisito, o Relator considerou que, mesmo tendo decorrido mais de uma década da edição da lei, ela impõe ônus financeiro ao DF.Dessa forma, segundo o relator, caso a norma seja considerada inconstitucional, no julgamento do mérito dessa ação, recursos orçamentários terão sidos usados para concretizar uma norma inconstitucional. Assim, a liminar foi concedida para resguardar o orçamento público, que é patrimônio público e por isso indisponível.
Comentário do Blog: Esta decisão reflete que não existe tratamento isonômico entre as ações religiosas. Enquanto alguns eventos religiosos recebem recursos governamentais a justiça entende que a Marcha para Jesus, que faz parte da nossa cultura não pode receber! Tratamento isonômico já!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Governador Agnelo participa das Celebrações de Inverno 2011


O Governado Agnelo queiroz esteve presente nas Celebrações de Inverno 2011 no Pavilhão do ExpoBrasília no Parque da Cidade. O Governador foi recebido pelos Bispos Robson e Lúcia Rodovalho e pelo Pr. Rodrigo Delmasso. No evento ele agradeceu o convite e recebeu uma oração ministrada pela Bispa Lúcia Rodovalho.

Os Bispos Robson e Lúcia Rodovalho profetizaram sobre o derramar do poder de Deus sobre todo  Brasil e o mundo. Na explanação da palavra Bispo Rodovalho enumerou sobre os cinco degraus da liderança e enfatizou que todo líder deve estar apaixonado em meio à trajetória de fé. Usou como exemplo a vida de Davi que tinha paixão pela missão na qual Deus colocou na vida dele.
 “Não jogue seu chamado fora, não saia de seu foco. Pregue a palavra com uma paixão de Deus ardendo em seu coração. A ambicão dos outros não pode justificar seu fracasso. Viva  o que Deus te chamou pra fazer. Olhe para seu chamado. Pergunte pra Deus como você deve fazer melhor”.
  “ Não se boicote por causa de discípulos ambiciosos.  Usias, descrito na Bíblia, não era movido à paixão e sim ambicão. Ele tinha 16 anos quando começou a reinar e depois que ele se tornou poderoso o orgulho provocou a queda. Quem é ambicioso se quebra, pois não tem limite. Quem está movido à ambição não fica na presença de Deus”.
Fonte: www.saranossaterra.com.br 

domingo, 17 de julho de 2011

A Força da Juventude: Pesquisa revela a cara do Brasil que elegerá o próximo presidente

Gabriela teve mais oportunidades que os pais e se tornou a principal referência para os familiares decidirem em quem votar
Gabriela Carvalho, 26 anos, não esconde o orgulho quando se lembra das conquistas pessoais. Filha de um porteiro e de uma manicure — ambos migrantes cearenses —, estudou a vida inteira no ensino público até cursar uma faculdade de jornalismo particular, concluída graças ao Programa de Financiamento Estudantil (Fies). Em relação aos pais, teve oportunidade de estudar mais, de conquistar acesso amplo a informações e transformou-se na formadora de opinião da família. Ela integra a nova classe média brasileira, composta por famílias com renda mensal domiciliar total entre R$ 1.064 e R$ 4.561. Em 2014, o grupo que envolve a jornalista e outros 29,4 milhões de jovens entre 18 e 34 anos da classe C será maior que o total de eleitores das classes A e B juntas (23,7 milhões).

Esse dados fazem parte de uma pesquisa realizada pelo Data Popular e que será apresentada, em 8 de agosto, na capital federal, no seminário Políticas Públicas para uma Nova Classe Média, idealizado pela Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE). O governo tem uma preocupação social com essa fatia da população, principalmente para não haver retrocesso econômico na vida dela. Isso, claro, poderia trazer um prejuízo eleitoral enorme.

É de praxe que a classe média seja o fiel da balança nas eleições de vários países. No Brasil, porém, isso é diferente. A classe C tem a maioria absoluta. Em 2010, essa fatia correspondia a 52% dos eleitores. Em 2014, a porcentagem será ainda maior: 57%. Isso significa que os 71,25 milhões de brasileiros da classe C podem decidir sozinhos o próximo presidente do país e toda a configuração do Congresso.

“Eu percebo que o interesse pela política dos jovens da minha classe social aumentou, especialmente quando há projetos que possam pesar no bolso. Mas ainda falta muito para que haja uma consciência política de fato. Nas últimas eleições, por exemplo, não só meus pais, mas várias outras pessoas da minha família quiseram saber em quem eu iria votar para fazerem o mesmo”, diz Gabriela.

O ministro-chefe da SAE, Wellington Moreira Franco, destaca que um dos trunfos dos jovens da nova classe média é que, em linhas gerais, eles têm uma vida melhor do que os pais tiveram quando mais novos. “Esse é um dado de esperança fundamental. O seminário quer responder exatamente que medidas o governo deve tomar para acompanhar toda a conjuntura econômica. É necessário criar uma ‘tranca’ para que essas pessoas não tenham um retrocesso”, afirma Moreira Franco.

Ainda de acordo com o ministro, o governo tem pensado em uma nova geração de políticas sociais. Uma das “trancas”, expressão utilizada pelo próprio Moreira Franco para designar um mecanismo que evite uma piora na qualidade de vida da nova classe média, pode funcionar usando os moldes do PIS/Pasep ou de abonos salariais.

Sustentável
Esse crescimento significativo da classe média só é ruim para o país se não for sustentável. Essa é a avaliação do economista e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) Marcelo Neri. Ele classifica a classe C como o “Pelé da economia brasileira”, principalmente com a situação atual de instabilidade externa. “A nova classe média tem se mostrado muito sustentável. Principalmente depois de 2003. Agora, por exemplo, não há qualquer sinal de um desaquecimento econômico dessa parcela da população”, avalia Neri.

Além dessa boa fase na economia da nova classe média brasileira, outro dado contido na pesquisa deve ser fundamental para um bom resultado do governo nas urnas. Daqui a quatro anos, quando, provavelmente, a presidente Dilma Rousseff estará tentando a reeleição para a Presidência da República, cerca de 80% dos eleitores da classe C se lembrarão do início da melhoria da distribuição de renda no período da gestão do PT. Por outro lado, quase 50% desses eleitores terão recordações efetivas do período inflacionário.

Esses espólios de épocas antes e depois da chegada do PT ao poder tendem a ajudar ainda mais Dilma. A pesquisa do Data Popular foi elaborada a partir de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), por levantamentos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), além da Pesquisa de Orçamento Familiar de 2009. Foram ouvidos 5 mil brasileiros da nova classe média com idades entre 18 e 69 anos no primeiro trimestre deste ano.

Fonte: CorreioWeb

quinta-feira, 14 de julho de 2011

SSP anuncia programa de combate à violência nas Escolas para o próximo semestre letivo



Um programa da secretaria de Segurança Pública (SSP), em parceria com o Batalhão Escolar da Polícia Militar, mapeou as escolas do DF que mais oferecem risco aos alunos e promete reduzir a violência. A iniciativa pretende coibir o tráfico e uso de drogas nas instituições e nos arredores, além de combater a prática do bulliyng entre os estudantes.

Segundo informações da assessoria de imprensa da SSP, a PM mapeou entre 50 e 60 escolas com situações mais críticas. Estas serão as primeiras a receber o programa, batizado de "Muita calma nesta escola", que começará a ser implementado no início do segundo semestre letivo de 2011. Os estabelecimentos de ensino com menor risco serão monitorados por ronda, de modo que um policial ficará responsável por mais de uma escola.

Fonte: Correio Web

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Diretora do Senado confirma lançamento de edital até setembro


Os concurseiros que aguardam ansiosamente por um dos certames mais esperados do ano já podem comemorar. A diretora-geral do Senado Federal, Doris Peixoto, afirmou nesta segunda-feira (11/7), em entrevista à Rádio Senado, que o edital de abertura do próximo concurso da Casa sairá até setembro deste ano. “A nossa expectativa é que o edital já seja liberado em meados do segundo semestre. Eu acredito que em setembro nós já tenhamos o edital liberado”, declarou.

Segundo Peixoto, o número de vagas também pode ser superior às 180 oportunidades imediatas anunciadas em janeiro, já que o concurso pretende cobrir a ausência de servidores aposentados. Segundo ela, cerca de 300 a 400 funcionários públicos devem se aposentar até o final de 2011.

A definição do número de vagas e a nova distribuição das áreas dependem apenas da aprovação da reforma administrativa do Senado, que no momento está em discussão na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Histórico
Em fevereiro o concurso foi suspenso pela Comissão Diretora do Senado que optou por reavaliar a necessidade de realização de um novo certame, mesmo após ter sido divulgado a distribuição das 180 vagas nos cargos de advogado, consultor, analista e técnico legislativos. Porém, o presidente do Senado, José Sarney, renovou as esperanças dos concurseiros e afirmou que o concurso seria lançado no segundo semestre deste ano.

Fonte: Papo de Concurseiro